Home Blog Arquivos para Equipe

Author: Equipe

‘Novembro azul’: saiba quais são os três tipos de doenças que afetam a próstata

by Equipe Equipe Nenhum comentário

Por que um seguro de vida individual é cada vez mais importante

by Equipe Equipe Nenhum comentário

Seguro de vida garante qualidade e bem-estar a toda a família — Foto: Shutterstock

Se você nunca pensou em fazer um seguro de vida, é hora de mudar de ideia. Ainda pouco procurado pelos brasileiros, ele oferece uma série de benefícios focados na qualidade de vida do segurado. Entre eles estão a indenização para diagnóstico de doenças graves, serviços para manter a saúde em dia e descontos em rede conveniada.

A penetração desse segmento ainda é pequena no Brasil, onde apenas 5% da população possui seguro de Vida Individual. Na maior parte dos seguros de pessoas, os segurados dependem apenas dos planos de Vida em Grupo (34%), que são aqueles contratados por empresas para seus funcionários.

Essa modalidade, no entanto, só garante os benefícios enquanto a pessoa estiver empregada, perdendo o seguro em caso de demissão. Com as recentes mudanças nas leis trabalhistas, que reduziram as despesas para as empresas demitirem, o funcionário precisa estar atento a esse ponto.

Qualidade de vida

Hoje há diversos benefícios para serem usados em vida inclusos nas apólices. Com foco no bem-estar dos segurados, os pacotes podem incluir indenização para ajudar no tratamentos de doenças, indenização por diárias de internação hospitalar, entre outros, que se tornam cada vez mais importantes com o aumento da expectativa de vida.

Recentemente a seguradora Tokio Marine lançou o seguro de Vida Individual que permite a contratação da cobertura de doenças graves. Os produtos Vida Homem e Vida Mulher além de cobrir o diagnóstico de câncer, ainda oferecem combos que garantem indenização para os principais tipos de doenças, como AVC, infarto, transplante, alzheimer, insuficiência renal, perda de audição, bypass, cegueira, embolia pulmonar, esclerose múltipla e paralisia de membros.

Existem também opções de coberturas para invalidez permanente ou parcial por acidente e indenização por internação hospitalar e UTI.

Com tudo isso, a indenização pode ser usada para o tratamento do segurado e o foco do seguro passa ser a qualidade em vida.

Serviços extras

Além de todas essas coberturas, ainda são oferecidos serviços úteis para a saúde. É o caso do aplicativo Vida Saudável, que auxilia em cuidados do corpo e da alimentação com ajuda de profissionais; o Farma Assist, que oferece praticidade, conveniência e economia com farmácias conveniadas; e a rede de descontos exclusivos para clientes Tokio Marine.

Outras vantagens são a privacidade e simplicidade na declaração de saúde que é feita através de tele-entrevista por enfermeiros e enfermeiras, a vigência de contrato por cinco anos e coberturas com preços diferenciados para mulheres.

Fonte: G1    –  https://glo.bo/2Dy4mXV

Qual o risco financeiro de ficar sem plano de saúde?

by Equipe Equipe Nenhum comentário

Qual o risco financeiro de ficar sem plano de saúde?

Por Consultório financeiro

Tenho a sensação de que pago muito caro pelo meu plano de saúde, que consome quase 10% do meu orçamento. Vale mesmo a pena desembolsar todo esse dinheiro?

Eliane Tanabe Deliberali, CFP, responde:

Caro leitor,

Este assunto nos faz refletir a relação direta do custo versus benefício dos planos de saúde, pois costuma ter um peso relevante nos orçamentos pessoais, muitas vezes figurando nos maiores percentuais entre os gastos.

A pergunta é: até que ponto vale a pena desembolsar todo esse dinheiro, não é mesmo? Certa vez, avaliava com um colega o grau de utilidade de determinada decisão financeira. Até onde há valor em gastar certo montante por algo? Por atingir uma área sensível de nossas vidas é, para muitos, um gasto inquestionável. Podemos optar por não pagar plano de saúde, mas alguns cuidados são importantes, como observar o estado de saúde geral e fazer check-ups regularmente. O risco assumido é passar por uma eventual situação de saúde com impacto financeiro relevante. Por exemplo, detectar uma doença grave ou, mesmo com boa saúde, sofrer um acidente que, eventualmente, precise de cirurgia e internação. Vale destacar que decisões relacionadas à saúde podem ter grande carga emocional e, para salvar uma vida, pessoas podem assumir dívidas altíssimas. Outro ponto é observar que não pagar plano de saúde significa contar com o serviço público de saúde ou optar por pagar consultas e serviços de saúde particulares, desde que possa ou esteja disposto a custeá-los. Tenho constatado que, por

conta da crise, desemprego e redução de orçamento, alguns optaram por abrir mão do plano de saúde. Para isso, consideraram a qualidade do serviço público da região onde moram ou a possibilidade de utilizar clínicas populares para consultas rotineiras.

Leia mais

10 Dicas de Sustentabilidade Ambiental

by Equipe Equipe Nenhum comentário

Sustentabilidade é a capacidade de se desenvolver econômica e socialmente respeitando a natureza, consiste em usar racionalmente os recursos naturais e evitar causar danos ao meio ambiente, é garantir a sobrevivência das próximas gerações.

Pequenas atitudes no dia a dia podem fazer toda a diferença e contribuir para a sustentabilidade do planeta e a recuperação dos danos já causados.

1. Economizar água é algo essencial!

Economia de água
Foto: nagaon

● Fechar as torneiras quando elas não estiverem sendo usadas;

● Desligar o chuveiro para ensaboar o corpo ou fazer a barba;

● Consertar encanamentos com problemas para evitar pingos e vazamentos;

● Reutilizar a água da lavagem de roupas para lavar o quintal;

● Recolher a água da chuva e usar para regar as plantas.

 

2. Respeitar a Terra e não poluir é sustentabilidade!

Produtos orgânicos
Foto: PHOTO/arts Magazine

● Evitar o uso de sacolas plásticas;

● Consumir menos carne bovina ajuda a economizar água também e evita o desmatamento;

● Dar preferência aos produtos orgânicos, que são saudáveis e não agridem o solo com agrotóxicos;

● Evite o uso de produtos químicos na limpeza de casa, para lavar roupas e louça. Escolha produtos de limpeza biodegradáveis, que se decompõe na natureza.

 

3. Não contribua com a extinção da fauna e flora silvestre!

Fauna e Flora
Foto: eschu1952

● Não comprar animais silvestres, o comércio ilegal de animais silvestres contribui para a extinção de muitas espécies, além da crueldade com que os animais são transportados e armazenados;

● Não consuma alimentos ou compre produtos derivados de espécies em extinção;

● Plante árvores, escolha as espécies nativas e que estão em risco de extinção. As árvores são de grande importância para manter o ar saudável e limpo.

 

4. Economize energia: bom para você, bom para a natureza!

Economia de energia
Foto: tio_re

● Apague as luzes dos cômodos que não estão sendo usados;

● Use lâmpadas fluorescentes;

● Não deixe televisão e rádio ligados se ninguém estiver usando esses aparelhos;

● Aproveite a luz solar, abra as portas e janelas é mais agradável e faz bem para a saúde;

● Retire da tomada os eletrodomésticos após o uso.

 

Reduzir, reutilizar e reciclar
Foto: felicemcc

5. Reduza!

● Diminua o consumo de produtos embalados, compre a granel e use sacolas de tecido;

● Vá pelo menos uma vez por semana ao mercado e compre somente o necessário, liste as coisas que são realmente necessárias.

6. Reutilize!

● Transforme coisas velhas em novas com um pouco de criatividade e materiais que tem em casa;

● Escolha produtos com embalagens retornáveis;

7. Recicle!

● Separar o lixo para coleta seletiva diminui a poluição do solo;

● Faça a compostagem caseira dos resíduos orgânicos e adube suas plantas;

 

8. Use o Transporte Sustentável!

Transporte Sustentável
Foto: roland

● Em curtas distâncias deixe o carro na garagem e faça uma caminhada, além de evitar a emissão de gases poluentes, faz bem à saúde;

● Andar de bicicleta também gasta calorias e poupa a natureza;

● Prefira carros que utilizem etanol ou energia elétrica e se possível use transporte coletivo, é um carro a menos poluindo o ar que respiramos;

● Dar carona aos amigos ou pegar carona pode ser divertido e sustentável.

 

9. Proteja o nosso meio ambiente!

Meio Ambiente
Foto: Ana_Cotta

● Adote um animal, existem muitos animais abandonados que foram vítimas de maus tratos esperando por um lar.

● Nós somos responsáveis pelo lugar em que vivemos e devemos trabalhar e cuidar para mantê-lo saudável. Denuncie práticas que agridem o meio ambiente;

 

10. Divulgue a sustentabilidade ambiental

Horta Comunitária
Foto: DCDPR

Não dá para mudar o mundo sozinho, é necessário a união para conseguirmos atingir essa meta de sermos sustentáveis.

● Crie projetos sociais no seu bairro, podem ser oficinas de reciclagem, horta comunitária e palestras nas escolas sobre o tema;

● Divulgue a importância de preservar a natureza e seus benefícios, é importante ensinar as crianças a serem sustentáveis, pois o futuro do planeta depende disso.

Fonte: Pensamento verde https://bit.ly/2OCIVuw

Atitudes ecologicamente corretas para a preservação do meio ambiente

by Equipe Equipe Nenhum comentário

Ser ecologicamente correto significa ter atitudes e promover ações que diretamente venham a contribuir de forma positiva com o meio ambiente. No dia a dia de qualquer pessoa, sem grandes esforços, é possível agir em função de um melhor convívio entre natureza e o homem.

Em casa

Uma das maiores preocupações do mundo é com a escassez de água, por isso evitar o desperdício desse bem precioso é a lição de casa mais importante. Feche as torneiras ao escovar os dentes e ao lavar a louça. Espere juntar uma boa quantidade de roupas antes de lavá-las. Aproveite a água da chuva para lavar o carro, o quintal e a calçada. Tome banhos curtos entre 7 e 10 minutos é o tempo necessário para uma boa ducha.

Separar os lixos para facilitar a coleta seletiva garante que boa parte do material que você está descartando será reciclado adequadamente. Nunca jogue óleo de cozinha pelo ralo para que caia na rede de esgoto, reutilize e faça sabão caseiro. Opte por sacolas retornáveis e sacos de lixo biodegradáveis. Desligue todos os aparelhos que não estão em uso da tomada. O consumo exagerado de energia dificulta diretamente a preservação do meio ambiente. O plantio de árvores e de mini-hortas também colabora positivamente para uma melhor qualidade do ar.

No trabalho

coleta seletiva
Foto: realbrasilconsultoria

Promover palestras, debates e incentivar o descarte consciente de matérias em ambientes corporativos colaboram para uma rotina sustentável.

Espalhar lixeiras seletivas, evitar impressões e uso de papel desnecessariamente, usar iluminação natural ou lâmpadas econômicas e de tecnologia verde. Nunca descartar produtos químicos em vias públicas ou lixo comum. Incentivar o rodízio de caronas entre os funcionários.

Deixar o carro na garagem e optar por caminhadas, bicicletas, caronas ou uso de transporte coletivo, também beneficiam o meio ambiente. Escolas e faculdades devem abrir seus espaços para incentivar e informar alunos e a comunidade sobre ações ecologicamente corretas.

Fonte: Pensamento Verde https://bit.ly/2Nit6fD

 

Seguro para condomínio é coisa séria

by Equipe Equipe Nenhum comentário

Seguro para condomínio é coisa séria

Ainda que os condôminos em geral tenham pouco interesse pelo tema, as consequências de um seguro mal feito podem ser catastróficas

Estasa Corretora de Seguros, 13 Setembro 2018, 10h25, com Antonio Penteado Mendonça, O Estado de S.Paulo

Pouca gente presta atenção, mas seguro para condomínio é coisa séria. Ainda que os condôminos em geral tenham pouco interesse pelo tema e menos ainda noção do que é feito no que diz respeito à questão, as consequências de um seguro mal feito podem ser catastróficas.

Começando pelo risco de incêndio, que as pessoas sempre acham que nunca vai acontecer com elas, passando por todos os tipos de situações intermediárias, até a não contratação do seguro obrigatório, as ações e omissões podem ter impacto seríssimo na vida das vítimas dos diferentes tipos de eventos possíveis de causar danos em função da existência e funcionamento de um edifício em condomínio.

A primeira regra desconhecida da maioria dos condôminos é que o seguro de condomínio é obrigatório por lei. Se durante muitos anos essa proibição não tinha consequências práticas, desde 2007 a situação mudou radicalmente. Hoje, a não contratação de um seguro obrigatório pode gerar multa de até 10% do valor segurável. Isso significa que a não contratação do seguro para um edifício com valor de R$ 100 milhões pode gerar uma multa de até R$ 10 milhões para o condomínio. Até agora, a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados) não tem agido com rigor e aplicado muitas multas, mas isso não quer dizer que ela não possa fazê-lo, especialmente no caso de um sinistro que tenha publicidade, complicando ainda mais uma situação que já é ruim pela própria natureza do evento.       Além da multa, a lei dispõe que o síndico e os conselheiros do condomínio respondem pela não contratação ou contratação insuficiente do seguro. Essa situação pode ser atenuada se ficar provado que a decisão foi da assembleia do condomínio, mas o mais importante é se ter claro que, respondendo ou não, é muito difícil meia dúzia de pessoas ter patrimônio para repor as perdas de um incêndio de grandes proporções.

Leia mais

COMO CALCULAR A INDENIZAÇÃO POR INVALIDEZ PARCIAL POR ACIDENTE NO SEGURO DE VIDA?

by Equipe Equipe Nenhum comentário

COMO CALCULAR A INDENIZAÇÃO POR INVALIDEZ PARCIAL POR ACIDENTE NO SEGURO DE VIDA?

O objetivo ao contratar um seguro de vida, das pessoas é garantir a segurança e tranquilidade para a família e para elas próprias em caso de imprevistos.

Com isso, podem garantir o bem-estar de quem ama, recebendo uma indenização enquanto enfrentam uma situação desagradável.

O Seguro de Vida é ótima opção por atender a diversas situações e por oferecer coberturas sob demanda para a necessidade de cada segurado.

No momento da contratação, é possível analisar opcionais como cobertura para morte acidental ou natural, para doenças graves, e assistência funeral e a invalidez parcial permanente por acidente.

Hoje vamos falar sobre uma dúvida frequente, coberturas:

Como é realizado o cálculo do valor da indenização da cobertura de Invalidez Parcial por Acidente (IPA) que o segurado tem direito a receber.

Como é feito o cálculo de indenização?

Ao contratar a cobertura de Invalidez Parcial por Acidente no Seguro de Vida, o segurado entende que a indenização devida é aquela prevista no Certificado Individual do Seguro de Vida.

Há, no entanto, a necessidade de esclarecermos que nessa cobertura, em especial, existe uma forma diferenciada para a indenização.

Primeiramente é preciso apurar qual o grau de invalidez apontado pelo seu médico.

Uma vez apurado o grau de invalidez, aplica-se esse Grau sobre o percentual indicado na Tabela de Invalidez previsto nas Condições Gerais e sobre esse resultado, aplicamos sobre o Capital Segurado contratado.

Imagine que determinado segurado sofre de surdez total incurável de um dos ouvidos (percentual de 20% na Tabela) e tem uma cobertura contratada de R$ 50.000,00. Realizado o exame médico, apurou-se um grau de invalidez parcial de 50%.

Assim, temos: 50% de grau de invalidez apurado x 20% (correspondente à surdez) x R$ 50.000,00 (capital segurado) = R$ 5.000,00 – Valor a ser indenizado.

Onde consultar a tabela de cálculo de indenização?

Nas Condições Gerais do Seguro, que compõem a sua apólice/contrato.

Para saber mais sobre a importância do seguro de vida, acesse o nosso site da Estasa:

http://www.corretora.estasaseguros.com.br/seguro-de-vida-em-grupo

http://www.corretora.estasaseguros.com.br/seguro-de-vida-em-grupo#cotacao-vida

http://www.estasaseguros.com.br/seguros/seguro-de-vida-e-assistencia-funeral/

http://www.estasaseguros.com.br/seguros/acidentes-pessoais/

Seguro Residencial

by Equipe Equipe Nenhum comentário

Você sabe as coberturas que possui? Conhece a diferença entre roubo e furto?

Diferenças entre furto qualificado, roubo e furto simples

 

Para quem pretende contratar um seguro, é importante entender a diferença entre os termos citados acima e como impactam a sua apólice.

 

Furto:

Se um ladrão leva seu bem sem que você perceba ou sem estabelecer contato, o caso é­ um furto. Entretanto, existem dois tipos de furto, que são muito diferentes entre si:

 

Furto qualificado: Segundo o Código Penal, artigo 155, é aquele que ocorre com destruição ou rompimento de obstáculo; abuso de confiança, ou mediante fraude, escalada ou destreza; emprego de chave falsa ou mediante concurso de duas ou mais pessoas. Exemplo: Se um ladrão pula o muro de uma casa e leva a bicicleta, é um furto qualificado.

 

Furto simples: não há qualquer indício de que o objeto foi furtado. Exemplo: Seu celular simplesmente desaparece de cima da mesa ou sua bicicleta some, se não há qualquer indicio, é um furto simples.

 

O roubo, por sua vez, acontece quando a pessoa é abordada, sofre algum tipo de ameaça, violência, conforme artigo 157 do código penal. Portanto, é um crime muito mais grave e perigoso do que o furto, pois adiciona uma segunda variável, que é a maneira como a vítima irá reagir e, por conseguinte, como o ladrão irá reagir.

 

Qual a importância de saber disso:

É importante ter conhecimento dessas diferenças pois um seguro de bicicleta, por exemplo, não cobre o furto simples. Em tese, os furtos simples não são cobertos porque, a rigor, não é sequer possível provar que houve um furto.

Faz sentido contratar seguro de vida para filho de 14 anos?

by Equipe Equipe Nenhum comentário

Faz sentido contratar seguro de vida para filho de 14
anos?

Por Aura Rebelo
Quando falamos de seguro de vida, pensamos sempre na nossa própria vida, ou melhor, pensamos na nossa morte (na verdade, detestamos pensar nisso!). E em qual proteção, no caso de nossa ausência precoce, as pessoas que amamos precisarão receber.

Esse tema é difícil, muitas vezes é subestimado e deixado para depois. Provavelmente, você que está lendo este artigo não sai da concessionária com seu carro novo sem seguro. Mas e sua vida, está segurada?

Muito pouca gente sabe que o seguro tem características muito importantes para proteger a nossa vida, enquanto estamos vivos! No caso de uma doença grave, mesmo de uma invalidez, ou de problemas decorrentes de um acidente. São tantas adversidades que podem acontecer a qualquer pessoa e de repente… Todo mundo conhece algum caso inesperado, trágico, que aconteceu, bem perto de si.

Isso se comprova, por exemplo, por meio do documento Boletim Estatístico da Seguradora Líder-DPVAT, que revela que, das mais de 380 mil indenizações pagas apenas em 2017, 74% foram resultantes de acidentes que levaram as vítimas a uma
situação de invalidez permanente.

As chamadas “coberturas de sobrevivência” possibilitam o pagamento de uma indenização em plena vida produtiva, a cura de uma doença através de um bom tratamento, a superação de um trauma físico ou a adaptação a uma nova realidade com
mobilidade reduzida, dentre outras possibilidades. Esse recebimento de capital segurado assegura apoio para a recuperação e a manutenção da qualidade de vida e da dignidade para a própria pessoa, em vida.

Leia mais

STF suspende norma da ANS sobre coparticipação em plano de saúde

by Equipe Equipe Nenhum comentário

STF suspende norma da ANS sobre coparticipação em plano de saúde

STF suspende norma da ANS sobre coparticipação em plano de saúde. Por Luísa Martins e Isadora Peron. A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, suspendeu ontem resolução da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) que permitia às operadoras de planos de saúde cobrar dos usuários até 40% do valor de atendimentos, como consultas e exames, no modelo de coparticipação. A norma foi editada em junho e entraria em vigor em dezembro. A decisão atendeu a pedido da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e foi tomada em caráter liminar pela presidente do STF, que trabalha em regime de plantão durante o recesso do Judiciário neste mês. O relator natural é o ministro Celso deMello.

No texto, Cármen Lúcia afirma que a resolução da ANS tem impacto negativo sobre milhões de usuários de planos de saúde, “muitos deles em estado de vulnerabilidade e inegável hipossuficiência”. Ela assinala ainda que a norma foi editada sem antes ter sido sido discutida no Congresso Nacional – e que o Supremo tem jurisprudência no sentido de resguardar a defesa do direito fundamental à saúde.

“Saúde não é mercadoria, vida não é negócio, dignidade não é lucro. Direitos conquistados não podem ser retrocedidos, sequer instabilizados”, afirmou, intimando a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Procuradoria-Geral da República (PGR) a se manifestar. “As normas instabilizam os usuários que precisam dos planos, pretendem ou necessitam brevemente renová-los ou pensam em adotá-los.”

Está prevista em lei a possibilidade de a presidente do STF decidir liminarmente em Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) durante período de recesso. Porém, o relator, Celso de Mello, poderá reexaminar a decisão nos próximos dias. Ele assumirá a presidência do STF nesta terça e quarta-feiras – o presidente Michel Temer viaja a Cabo Verde e Cármen Lúcia ocupará o Palácio do Planalto.

A ANS afirmou ontem que a decisão foi encaminhada à Advocacia-Geral da União (AGU) para as providências cabíveis. E acrescentou que a norma “observou rigorosamente o rito para edição de ato administrativo normativo, especialmente quanto à oportunidade de participação da sociedade”. Segundo a agência, a norma foi analisada pela AGU “sem que tenha sido identificada qualquer ilegalidade ou inconstitucionalidade”.

Já a OAB comemorou a concessão da liminar. O presidente da instituição, Claudio Lamachia, disse que a resolução constituía uma “severa restrição” ao direito à saúde, previsto na Constituição Federal. “A lei que cria a ANS determina que ela fiscalize o setor visando à proteção e à defesa do consumidor. Claramente ela se desviou de sua finalidade”, afirmou. Para ele, agências reguladoras “passaram a ser ambientes para a troca de favores entre partidos, muito pouco ou nada fazendo em prol da população” (ver mais ao lado).

A resolução foi editada pela agência em junho com o argumento de proteger o consumidor, ao definir um conjunto de exigências a serem cumpridas pelas operadoras nos modelos de coparticipação e franquia. Entre elas, o estabelecimento de um percentual máximo de cobrança de procedimentos de saúde; a fixação de limites de valores relacionados ao custo de coparticipação e franquia; e a isenção da cobrança de coparticipação e franquia em mais de 250 procedimentos, como exames preventivos e tratamentos para doenças crônicas.

Há cerca de uma semana, senadores da Comissão de Assuntos Sociais (CSA) manifestaram apoio a uma iniciativa do PT de aprovar proposta de decreto legislativo para sustar os efeitos dessa norma. “Os aumentos anunciados são aumentos que a
população não conseguiu entender e muito menos assimilar dentro de seus orçamentos”, disse Marta Suplicy (MDB-SP), durante a audiência pública.

A fala da parlamentar foi alinhada à do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), segundo o qual o propósito da ANS é fazer com que o usuário “use menos” o plano de saúde. “Esse modelo é bom para quem tem saúde, mas quem não tem provavelmente vai pagar a mais”, disse a representante Marilena Lazzarini. Na ocasião, o gerente-geral da Gerência Regulatória da Estrutura dos Produtos da ANS, Rafael Vinhas, disse que outras duas audiências estão previstas, em 24 e 25 de julho, no Rio de Janeiro, para discutir o tema com a sociedade.

Fonte: Valor Econômico

https://www.valor.com.br/empresas/5663597/stf-suspende-norma-da-ans-sobre-coparticipacao-em-plano-de-saude

© 2018 - Estasa Seguros | Digital Marketing BR